Vinícius Cugler Magueta

VINÍCIUS C. MAGUETA, 23 anos, da cidade de Praia Grande/SP. Fornado no Curso de Licenciatura em Teatro/Arte-Educação, na Universidade de Sorocaba. Ator, diretor e artista circense (malabares, trapézio, acrobacia, clown, etc). Pesquisador de suspense teatral, com monografia apoiada pela FAPESP no estudo do "serial-killer" Roberto Zucco de Koltès. Além de arte-educador, é também professor de técnicas circenses e diretor teatral.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

É esse o caminho???


Achei muito bacana para se pensar.


De 1978 a 2008 passaram 30 anos. O mundo mudou bastante. Evoluiu-se muito em certos aspectos mas nem tudo mudou para melhor…


Situação: O fim das férias.

Ano 1978: Depois de passar 15 dias com a família atrelada numa caravana puxada por um Fiat 600 pela costa de Portugal, terminam as férias. No dia seguinte vai-se trabalhar.

Ano 2008: Depois de voltar de Cancún de uma viagem com tudo pago, terminam as férias. As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão, seborreia e caganeira.


Situação: Chega o dia de mudança de horário de Verão para Inverno.

Ano 1978: Não se passa nada.

Ano 2008: As pessoas sofrem de distúrbios de sono, depressão e caganeira.


Situação: O Pedro está a pensar ir até ao monte depois das aulas, assim que entra no colégio mostra uma navalha ao João, com a qual espera poder fazer uma fisga.

Ano 1978: O director da escola vê, pergunta-lhe onde se vendem, mostra-lhe a sua, que é mais antiga, mas que também é boa.

Ano 2008: A escola é encerrada, chamam a Polícia Judiciária e levam o Pedro para um reformatório. A imprensa inteira apresenta os telejornais desde a porta da escola.


Situação: O Carlos e o Quim trocam uns socos no fim das aulas.

Ano 1978: Os companheiros animam a luta, o Carlos ganha. Dão as mãos e acabam por ir juntos jogar “matrecos”.

Ano 2008: A escola é encerrada. A prefeitura proclama o mês anti-violência escolar, O Jornal de Notícias faz uma capa inteira dedicada ao tema, e a TV insiste em colocar a Moura-Guedes à porta da escola a apresentar o telejornal, mesmo debaixo de chuva.


Situação: O Jaime não pára quieto nas aulas, interrompe e incomoda os colegas.

Ano 1978: Mandam o Jaime ir falar com o Diretor, e este dá-lhe uma bronca de todo o tamanho. O Jaime volta à aula, senta-se em silêncio e não interrompe mais.

Ano 2008: Administram ao Jaime umas valentes doses de Ritalin. O Jaime parece um Zombie. A escola recebe um apoio financeiro por ter um aluno incapacitado.


Situação: O Luís parte o vidro dum carro do bairro dele. O pai caça um cinto e espeta-lhe umas chicotadas com este.

Ano 1978: O Luis tem mais cuidado da próxima vez. Cresce normalmente, vai à universidade e converte-se num homem de negócios bem sucedido.

Ano 2008: Prendem o pai do Luís por maus-tratos a menores. Sem a figura paterna, o Luís junta-se a uma gang de rua. Os psicólogos convencem a sua irmã que o pai abusava dela e metem-no na cadeia para sempre. A mãe do Luís começa a namorar com o psicólogo. O programa de fofocas mantém durante meses o caso em estudo.


Situação: O Zézinho cai enquanto praticava atletismo, arranha um joelho. A sua professora Maria encontra-o sentado no canto da pista a chorar. Maria abraça-o para o consolar.

Ano 1978: Passado pouco tempo, o Zézinho sente-se melhor e continua a correr.

Ano 2008: A Maria é acusada de perversão de menores e vai para o desemprego. Confronta-se com 3 anos de prisão. O Zézinho passa 5 anos de terapia em terapia. Os seus pais processam a escola por negligência e a Maria por trauma emocional, ganhando ambos os processos. Maria, no desemprego e cheia de dívidas suicida-se atirando-se de um prédio. Ao aterrar, cai em cima de um carro, mas antes ainda parte com o corpo uma varanda. O dono do carro e do apartamento processam os familiares da Maria por destruição de propriedade. Ganham. A imprensa produz um filme baseado neste caso.


Situação: Um menino branco e um menino negro andam à batatada por um ter chamado "chocolate" ao outro.

Ano 1978: Depois de uns socos esquivos, levantam-se e cada um para sua casa. Amanhã são colegas.

Ano 2008: A imprensa envia os seus melhores correspondentes. A TV prepara uma grande reportagem dessas com investigadores que passaram dias no colégio a averiguar fatos. Emitem-se programas documentários sobre jovens problemáticos e ódio racial. A juventude Skinhead finge revolucionar-se a respeito disto. O governo oferece um apartamento à família do miúdo negro.


Situação: Fazia uma asneira na sala de aula.

Ano 1978: O professor espetava duas valentes “palpadas” bem merecidas. Ao chegar a casa o teu pai dava-te mais duas porque "alguma deve ter feito".

Ano 2008: Faz uma asneira. O professor pede desculpa. O teu pai pede desculpa e compra um Playstation 3.
(recebido por e-mail; de autor desconhecido)


"ta tudo errado"

2 comentários:

*Cassy* disse...

Olá ;D

Nossa, realmente, as coisas mudaram, agora está um absurdo!
Tá tudo errado mesmo, o sensacionalismo é gigantesco!

Beijão a até mais.

Teatro Esperança da arte disse...

Nossa, muito bom. O povo tá ficando muito neurótico!